Olá queridos,

Ha tempos que estou querendo escrever sobre calças jeans para vocês! Eu adoro jeans como a maior parte do mundo porém tenho notado que praticamente 100% das pessoas que eu conheço tem duvidas com relação a modelos, lavagens, detalhes e tudo o mais.

Existem convenções gerais com relação aos modelos (skinny, reta, bootcut/boca de sino, pantalona), lavagens (indigo, delavê, pretas, claras, etc.) e cinturas (alta, média, baixa), porém as calças ainda possuem outros detalhes que podem fazer toda a diferença.

jeans-post-i

Então vamos fazer uma sequencinha de posts com muita informação para todos poderem achar a calça ideal, que mais favorece cada silhueta.

Hoje começamos com a história do jeans, no próximo falaremos dos modelos e depois sobre cinturas, lavagens/detalhes e bolsos.

História

O Jeans foi criado por Levi Strauss nos EUA para ser usado como uniforme de trabalhadores em minas de ouro devido a sua resistência ainda no século XIX, mas foi ó na década de 30 que começou a se popularizar. O jeans foi muito usado durante a segunda guerra mundial pelos soldados e depois dela se espalhou também pela Europa.

poster-levis

A partir de 1950 ele começou a ser usado por adolescentes como demonstração de rebeldia, inspirados no filme Juventude Transviada com James Dean, onde o ator usou o uniforme mais tradicional até hoje: calça jeans e camiseta branca. Outras personalidades da época também adotaram este uniforme e contribuiram para a disseminação do jeans como Marlon Brando e Elvis Presley. Nesta época o jeans não era bem visto pela sociedade pois tinha a imagem bastante associada à “juventude transviada” e era inclusive barrado em determinados estabelecimentos.

Mas foi só a partir de 1970 que ele foi realmente aceito e começou a ser usado por todos. Nesta época as marcas mais famosas eram Levi’s, Lee e Mustang.

Calvin Klein foi o primeiro estilista que teve a coragem de colocar o jeans nas passarelas, na década de 70 e, apesar de muito criticado na época, abriu as portas de vez para esta febre.

Hoje temos infinitas marcas para todos os gostos e quase 100% do mundo possui um em seu guarda-roupa, além de serem também aceitos em ambientes mais formais. Que evolução, não?

Veja também os outros posts da série:

Beijocas,