Continuando nossa sequencinha de posts sobre organização de guarda-roupas, hoje vamos falar o que devemos pendurar e o que deve ser dobrado.

O que pendura e o que dobra

Para decidir o que deve ser dobrado ou pendurado, o mais importante é verificar o tipo de tecido do qual a peça é feita: de tecido plano ou de tecido malha.

Os tecidos planos são aqueles mais rígidos, que não possuem tanta elasticidade e, por isso, não esticam. São exemplos o linho, o brim, o tricoline, a seda e o crepe.

Já os tecidos malha são aqueles que se adaptam melhor ao formato do corpo, tendo mais maleabilidade e esticando com facilidade. Bons exemplos são as malhas, o jersey e o tricô.

Vocês já devem ter observado que as peças que esticam, feitas de tecido malha, quando são penduradas tendem a pegar o formato do cabide (ficam com bicos nos ombros, por exemplo), esgarçam (vão ficando mais compridas) e deformam com o passar do tempo. Sendo assim, para aumentar a durabilidade destas peças, é recomendado que sejam guardadas dobradas, em prateleiras e gavetas do seu closet.

Já as peças de tecido plano podem e devem ser penduradas, pois tendem a amassar mais ou marcar se forem dobradas.

Resumindo: casaquinhos de tricô, blusas de lã, blusinhas e vestidos de malha devem todos ser dobrados, enquanto camisas, calças jeans, blazers, casacos e vestidos de tecido plano devem ser pendurados.

Pijaminhas e roupas de ginástica devem ser dobrados e ficam melhor acomodados em gavetas, assim como as meias, as roupas íntimas e os biquinis. Estes últimos, guarde sempre o conjunto (a calçinha dentro do soutien) e cuidado com os bojos, que nunca devem ser dobrados para não deformar.

No próximo post veremos algumas técnicas para dobrar as peças de forma a otimizar espaços e evitar deformações, mais informações sobre cabides e apetrechos para o armário.

Beijocas e até lá,