Uma dúvida recorrente entre meus clientes empresariais é como lidar com clientes ou colegas estrangeiros, seja aqui ou lá fora, de forma profissional e educada.

E, em época de copa, onde muitos estão aproveitando para vir conhecer o Brasil unindo o útil ao agradável, nada melhor do que relembrar algumas regrinhas que evitam gafes e deixam todos mais seguros para lidar com quem quer que seja.

Vamos lá!

1. Cumprimente com aperto de mão

Na dúvida, o cumprimento universal que irá funcionar para praticamente todas as nacionalidades é o tradicional aperto de mão: nem forte nem fraco, olhando nos olhos, ele é sinal de respeito e ao mesmo tempo de amicalidade.

Outro motivo para apostar nele é que grande parte dos estrangeiros não está acostumada com beijinhos, abraços e muito contato físico, especialmente no trabalho, e esse excesso de intimidade pode causar mal estar.

Ah, e um sorriso (mais para discreto, porém sincero) também é sempre bem vindo!

2. Cuide mais ainda com o que vai vestir

Assim como o contato físico, os estrangeiros também estranham bastante este costume dos brasileiros de mostrar o corpo, ainda mais no ambiente profissional.

Por isso, tome ainda mais cuidado com detalhes que possam ser sensuais ou chamativos, tais como: cumprimentos curtos (até 3 dedos acima do joelho é o ideal), decotes (a linha da axila é o limite), braços e pés de fora, “justezas” (uó!), transparências, unhas vermelhas ou escuras, maquiagem carregada ou chamativa demais, cabelos rebeldes, acessórios espalhafatosos e afins.

Nestas (e na maioria das) situações, discrição é a chave e menos é mais, pois nunca sabemos com quem estamos lidando, ainda mais vindo de outra cultura e país.

3. Não atrase

Sabemos que no Brasil existe o chamado “atraso protocolar” de 5 a até 15 minutos, mas os estrangeiros não estão acostumados com isso, portanto se organize para chegar no horário, preferencialmente 5 minutos antes para estar preparada(o) para quaisquer imprevistos.

4. Evite assuntos pessoais, polêmicos

Estudar um pouco da cultura do país da(s) pessoa(s) em questão é sempre uma boa ideia, porém antes de conhecer o outro a fundo você nunca saberá de que lado da política está, de que religião que é, se é conservador ou liberal, se é feminista ou machista e assim por diante. Sendo assim, o ideal é evitar assuntos muito polêmicos, comentários que possam causar mal estar e assuntos muito pessoais, pelo menos até terem um pouco mais de intimidade.

Espere, preferencialmente, que ele ou ela puxe o assunto e depois navegue as águas com calma, falando menos e escutando mais. Afinal, esta é uma ótima oportunidade para conhecer mais da cultura e dos costumes do outro, da situação de outros países, história e tal. Eu adoro!

5. Seja educado, sempre

Em qualquer cultura ou país, a educação é um must.

Sei que nem preciso falar isso aqui para vocês, mas é sempre bom lembrar das “palavrinhas mágicas”, de oferecer café/água, de perguntar se está tudo certo com a hospedagem/transporte, de se fazer disponível para quaisquer problemas, de dar dicas de bons restaurantes (de diferentes orçamentos, by the way) e de programas culturais interessantes e assim por diante. Tudo sempre de forma muito natural e discreta, sem ser invasivo ou insistente.

Fale baixo, devagar, cuide com gírias ou manias e olhe nos olhos. Ah, e sorria, né? O sorriso sempre quebra o gelo.

Beijos,

Roberta