Uma das coisas que as gestantes mais temem, e digo isso com experiência de quem esteve em contato com muuuuitas gravidinhas, é a tal rachadura dos seios, que pode acontecer durante a amamentação. Dizem que dói horrores e que pode tornar cada mamada um martírio, ou seja, pode transformar algo que é para ser super especial em um grande pesadelo ou fazer as mamães desistirem de um processo tão importante para seus bebês, que é o aleitamento materno.

A boa notícia é que é temporário (só até o bico se acostumar) e, hoje em dia, quem sofre deste mal tem maneiras rápidas de aliviá-lo (pomadinhas, concha, bico de silicone e afins) mas, mesmo assim, é sempre melhor prevenir do que remediar, não é mesmo?

No curso que fiz no HU, as enfermeiras eram enfáticas ao dizer que elas só acontecem quando a pegada do bebê não está 100% correta, o que faz todo o sentido, mas, pelo que estão me falando, existe um fator genético também que influi em uma facilidade maior ou menor do seio resistir à tanto atrito, puxa e suga das mamadas frequentes de nossos bebês.

Por isso, algumas técnicas são recomendadas para “preparar” o seio para a amamentação, nem que seja para nos sentirmos fazendo algo para preveni-las e abaixo vou passar para vocês algumas indicações que recebi e que estou seguindo na medida do possível:

  • Durante a gravidez toda (a partir do 3o mês), esfregar o bico com uma toalha macia, começando devagarinho e depois aumentando a pressão. Quando estiver mais acostumada, passar da toalha para uma buchinha ou escovinha de lavar o rosto, para que a região fique bem acostumada com a fricção que virá com o mamar da criança.
  • Tomar sol diariamente no bico do seio foi a recomendação da minha médica, pois o sol tem poder cicatrizante incrível e também traz mais resistência à região. Segunda a dra. Cristina, 15min no sol antes das 10h ou após às 16h é suficiente para um bom resultado.
  • No último trimestre, também me indicaram começar a passar a pomada que comprei para rachaduras nos seios, a Lansinoh, que é a base de lanolina. Diz que ela promove uma super hidratação no bico e que previne (e não só alivia) as tão temidas rachaduras. Aqui no Brasil já existem pomadas equivalentes à Lansinoh, acho que não vusta procurar na farmácia mais próxima de você!

Mesmo fazendo todos estes preparativos, as malditas rachaduras ainda podem acontecer, então é sempre interessante observar a “pegada” do bebê ao mamar e, se perceber que não está correta ou houver qualquer dificuldade, correr para as centrais de aleitamento, onde as enfermeiras são preparadas para ensinar tudo certinho, tim tim por tim tim, e ajudar as mamães no que for necessário.

Aqui em Floripa temos a Central de Incentivo ao Aleitamento Materno (CIAM) no HU e também uma na maternidade Carmela Dutra, ambas públicas e onde qualquer pessoa pode ir e receber o atendimento.

Uma das responsáveis pela central do HU nos deu as aulas sobre amamentação no curso e é uma fooofa, ou seja, eu não hesitarei em correr para lá caso tenha qualquer dúvida ou dificuldade em amamentar a Stellinha.

Lá, elas também ensinam como fazer a retirada do excesso de leite, dar o leite em copinho para o recém nascido, prevenir mastites e infecções, além de outras dicas sempre super úteis para mamães de primeira viagem (ou não).

Então, gravidinhas, vamos procurar ajuda antes de desistir e tentar prevenir estes contratempos da melhor maneira possível, né? 🙂

Ah, quero saber de outras dicas que vocês receberam sobre este assunto! Que tal nos contar tudinho aqui nos comentários?

Beijos,

Roberta Carlucci