Olá queridas!

Mesmo já estando com a Stella em meus braços não vou deixar de passar as últimas dicas sobre gestação e também do pós parto aqui para vocês, né?!

No post de hoje vou falar um pouquinho sobre a malinha da maternidade, que é sempre uma dúvida cruel entre as mamães de primeira viagem. Como é bastante coisa, vou dividir o assunto em 2 posts, então fiquem ligadas para acompanhar a segunda parte também, ok?

Para montar as minhas malinhas, me baseei na lista que a maternidade forneceu, adicionando e trocando alguns itens que achei necessários com a ajuda da minha mãe.

Comecei a pensar na mala da Stella já com 37 semanas (tarde!), quando fui separar as roupinhas por tamanhos, lavar e passar peça por peça, o que fiz pessoalmente e foi uma delícia!

Por indicação do curso do HU, lavei tudo com sabão de coco sem adicionar nenhum outro produto (amaciantes e afins). Usei o sabão em pó UFE, pois os outros que achei no supermercado eram 100% artificiais e só tinham cheiro de coco, sem nada do coco propriamente dito. Super enganação, né? Mas, segundo as enfermeiras do HU, também dá para usar o sabão em barra comum e ralá-lo para colocar na máquina. Fica a dica!

Depois de tudo limpinho e cheirosinho, separei as roupinhas em kits já prontos, pois na hora da correria na maternidade ninguém vai ter tempo de ficar pensando no que combina com o que e o risco de esquecer algo é alto, ou seja, é bom ter tudo prontinho e à mão para entregar para a enfermeira e poder usar depois.

Fiz um total de 7 kits, 5 para levar para a maternidade e 2 para ficar em casa para emergências, já que moro a 5 minutos da maternidade e meu marido poderia facilmente buscar algo que faltasse. No fim não precisei, mas é sempre bom estar prevenida, né?

Cada kit continha:

  • 1 tip-top de manga comprida
  • 1 conjunto pagão (calça + blusa de manga comprida)
  • 1 macacão quentinho ou conjunto de calça culote (com pé) + blusa
  • 1 par de meias grossas
  • 1 par de luvinhas (para aquecer e evitar que o bebê se arranhe)
  • 1 toca (a cabeça é o local que mais perde calor)

Todas as peças eram 100% algodão, que é o material mais delicado e não-alergênico que existe, perfeito para a pele sensível dos recém-nascidos. Separei os kits dentro de saquinhos de voil que vieram junto com algumas peças que ganhei, mas tem também para vender em qualquer lojinha de bebês.

Além dos kits, levei ainda:

  • 6 fraldinhas de boca
  • 2 fraldas grandes (para forrar)
  • 4 cueiros de algodão
  • 2 mantas quentes
  • 1 cobertor (combinando com o último kit para a saída da maternidade)
  • 1 casaco quente (para a saída da maternidade)
  • 1 pacote de fraldas RN (as da Pampers são as melhores!)
  • Escovinha de cabelo com cerdas naturais (a minha é da Chicco)
  • Kit de banho (sabonete líquido + shampoo + pomada de prevenção de assaduras – tudo Weleda)
  • 2 toalhas de banho (daquelas forradinhas com fralda)
  • 2 chupetas RN (levei just in case, mas nem usei pois a Stella não gosta de jeito nenhum – Avent)
  • 1 bolsa de água quente de bebê (daquelas de esquentar no microondas, em caso de cólicas)
  • 1 par de brinquinhos de ouro para colocar na Stella

Para mim, o mais importante era estar adequada ao clima (frio!) e ter o suficiente para 2 dias, que é o tempo que normalmente ficamos internadas depois do parto. No fim, a maternidade usou o próprio kit de banho e usei somente 4 conjuntos, mas achei melhor estar preparada para o que desse e viesse.

Na malinha fui colocando os kits na ordem a serem usados, assim meu marido ou minha mãe puderam pegar para mim sem precisar dar maiores explicações. E foi ótimo: assim que cheguei para ser internada, a primeira coisa que a enfermeira me pediu foi o primeiro kit de roupinhas para colocar na Stella assim que nascesse, então foi ótimo estar com tudo separado e só falar para meu marido: pega o kit que está por cima! 😉

Depois de tudo pronto para a Stella, fui providenciar minha malinha também, que será assunto para o próximo post! 🙂

Beijocas,

Roberta Carlucci