Olá queridos, tudo bem?

Em meu artigo desta quinzena para o portal Dicas de Mulher, abordo algumas técnicas visuais que podemos utilizar para passar uma imagem mais madura, de mais segurança e experiência: cores, modelagens, peças e afins.

Vejam abaixo o artigo na íntegra, que também pode ser lido em minha página no portal, neste link aqui.

Técnicas visuais para uma imagem mais madura

Na consultoria de imagem muitas vezes trabalho com pessoas em início de carreira ou em troca de cargo, que precisam mudar o visual para se adequar às diferentes exigências e posições.

Para algumas delas, precisamos construir uma aparência mais madura, para demonstrar maior seriedade e experiência, pois quando se está entrando no mercado de trabalho ou exercendo uma nova função é comum experimentar uma certa insegurança, ou até medo de não ser capaz ou de não dar conta.

Sendo assim, existem alguns truques que podemos utilizar para transparecer mais experiência no visual e tornar a imagem do profissional mais séria e madura.

São elas:

1. Cores mais escuras e profundas

As cores, conforme falamos no artigo anterior, possuem uma influência visual irrefutável, e assim como as cores claras e intensas demonstram mais alegria e jovialidade, os tons mais profundos e escuros trazem um certo peso para a imagem de uma pessoa, fazendo-a parecer mais séria e até mais velha do que realmente é.

O mesmo vale para as peças lisas. Adote no máximo as texturas clássicas, como pied-de-poule ou o chevron (espinha de peixe).

Blair Waldorf, do seriado americano Gossip Girl, com camisa de seda em estampa pied-de-poule.

2. Modelagens mais retas & tecidos estruturados

Não foi à toa que as mulheres adotaram ternos com ombreiras de peso e modelagens mais masculinas nos anos 80. O sexo feminino estava querendo se equiparar aos homens no mercado de trabalho e, para isso, resolveu tornar a imagem da mulher mais masculina, demonstrando mais força e experiência.

Até hoje, ombreiras (hoje temos a moderninha manga pagode) e modelagens arquitetônicas ou minimalistas têm este poder, assim como os tecidos mais estruturados (lãs, linho, tweed), que criam linhas mais retas nos biotipos ondulados da mulher.

3. Minimalismo de detalhes

Quanto menos detalhes o look possuir, mais minimalista e sério ele será. Assim, poucos acessórios ou aqueles muito discretos são bem-vindos quando se quer uma imagem mais madura (alô bolinha de pérola, relógio discreto e bolsa clássica, preferencialmente estruturada e sem frufrus!).

Bolsa Hermes Kelly, clássica das clássicas.

Lenços de seda são recomendados, mas de pouca estampa ou cores escuras. Colares de uma volta só e curtos são os mais usados e o cabelo, sempre muito bem cuidado, deve estar preso ou muito bem domado.

4. Clássicos aliados

As peças clássicas sempre serão aliadas na hora de “acalmar” o visual e demonstrar experiência e elegância.

Aposte em terninhos atemporais (de 2 ou 3 botões ou até abotoamento duplo), camisas de golas angulares, punhos de abotoadura, calças e saias retas de comprimento impecável (saia no joelho e calça à 2 dedos do chão, com o sapato!), barras italianas e sobretudos.

Terno de abotoamento duplo: très chic!

Os óculos de grau e de sol devem ser minimalistas (pense em aros discretos e estilo Jackie O.), assim como os relógios, preferencialmente de pulseira de couro ou de metal discreto e fino.

O scarpin de bico fino tem o seu glamour, sempre imaculado e impecavelmente engraxado.

E não vamos esquecer do famoso colar de pérolas, imortalizado por Coco Chanel, assim como qualquer coordenação em preto & branco.

Porém, claro, a aparência não é tudo, não é mesmo? Como diz o famoso provérbio, “sacola vazia não para em pé”, ou seja, somados à uma boa imagem é preciso haver bastante comprometimento, discrição e profissionalismo.

Assim, a imagem será mais uma ferramenta à seu favor, tornando-a uma pessoa capaz de demonstrar suas qualidades e se portar de forma adequada no ambiente de trabalho.

Beijos e uma ótima semana para todos,

Roberta Carlucci