Quando falo que fui à NY, uma das primeiras perguntas que me fazem é: “Onde você ficou hospedada?”.

Sim, NY é mesmo carinho em termos de hospedagem e sim, é super difícil de achar um lugar legal que não seja acima de US$ 200, especialmente quando você quer ficar por um período prolongado sem gastar horrores com isso, como foi o meu caso.

Minha primeira opção foi alugar um apartamento, porém o período em que eu estive por lá era a altíssima temporada (Junho/Julho), ou seja, todas as pessoas que contactei me deram a mesma resposta: está tudo lotado!

Pesquisei algumas opções na Craiglist também, sem sucesso. O Booking.com tinha alguns hotéis promissores, mas os que eu gostei mais (dentro do meu orçamento e dos bairros que eu queria) estavam lotados e as outras opções tinham reviews de hóspedes nada convidativas no TripAdvisor (para mim o melhor site para procurar hotéis do mundo!).

Então, no fim, acabei ficando em 3 lugares diferentes, um para cada opção de orçamento, e deixo as dicas aqui para vocês. Confiram!

The Waldorf Astoria – $$$

“UAU”!! Esta foi a primeira palavra que consegui falar depois que entrei no saguão do Waldorf, na Park Avenue, em Nova Iorque.

A sensação é de déjà-vu, pois já vimos aquele saguão em tantos filmes que não dá nem para contar, sem falar nas cenas inesquecíveis com Julia Roberts e Richard Gere em Uma Linda Mulher. Este hotel já hospedou todos os presidentes dos EUA, a rainha da Inglaterra (inclusive enquanto eu estava lá!) e superstars como Madonna e a sensação é a de estar em outra época, naquela em que o cavalheiros levavam suas damas para sofisticadíssimos bailes de máscaras.

O teto todo decorado, o chão de mármore, o relógio, de 1893, que toca a cada 15 minutos e é fotografado inúmeras vezes pelos turistas ávidos que passam por ali, a vitrine luxuosíssima da Sacks, o SPA Guerlain, a cordialidade do staff…tudo impressiona!

O quarto é confortabilíssimo, com carinha de vintage, super bem arrumado e cheirosinho. A comida é um pouco overpriced, mas também só come lá quem quer, pois do lado, na Lexington e nos arredores, existem inúmeras opções ótimas para satisfazer todos os paladares. Dizem que o brunch é divino, mas no fim não tive a oportunidade de provar. Que for, conta aqui! 🙂

A localização é tudo no Waldorf, que fica super perto da Grand Central Station e das melhores lojas da cidade. A internet não é inclusa (e custa caro!), mas no saguão dá para conseguir um sinal bem bom, suficiente para mandar emails e fazer reservas, caso necessário.

Sim, o Waldorf=Astoria de NY é puro luxo e ficar lá pode não estar em seus planos, mas confesso que vale cada centavo e pelo menos uma visitinha curiosa, nem que seja só para conhecer sua história ver o relógio tocar.

Hotel Thirty Thirty – $$

Descobri o Thirty Thirty no Booking.com e fiquei lá durante o segundo período em NY. Foi uma surpresa ótima, pois consegui um preco muito bom e, confesso, não estava esperando muito.

O quarto é pequeno, mas super bonitinho, aconchegante e confortável, o que no fim é tudo que precisamos depois de um dia inteiro zanzando pela cidade, né?

Ele fica super bem localizado, perto de vários resturantes, padarias e da estação de metrô. A internet também não está inclusa na diária e pode ser acessada por um serviço terceirizado, que cobra US$ 5 a hora mas na padaria da esquina (com ótimos bagels!!) tem wirelles gratuita, para quem quer só dar uma checada rápida nos emails.

Ah, os preços da diária variam bastante, pelo que pude ver, e sai mais barato fazer a reserva pelo Booking do que pelo sistema deles.

The Brandon Residence for Women – $

Achei o Brandon Residence por indicação do blog Garotas Estúpidas e resolvi ficar por lá no 2 primeiros dias de NY para ver como era, antes de ir para Miami.

O Brandon é, na verdade, uma casa para mulheres, financiada pela organização Volunteers of America, que abriga estudantes, professoras e mulheres atuantes no mercado temporariamente, por um preço super bom e em ótima localização, no Upper West Side.

Você pode alugar mensalmente (até 6 meses com direito a renovação) ou por diária e cada moradora tem seu quarto individual, simples mas confortável, com cama, escrivaninha, cômoda, armário e vestilador. Os banheiros são comuns, um por andar, mas nos 2 dias que fiquei lá não vi ninguém e estavam sempre impecavelmente limpos. O serviço de camareira é feito 2x por semana e eles fornecem roupa de cama e toalhas a cada 7 dias.

A diária dá direito à 2 refeições por dia, café da manhã e jantar, servidas no restaurante no subsolo. Não cheguei a jantar (que só é servido até 19h), mas o café da manhã é bom: frutas, óvos, bacon, cereais e sucrilhos, café, sucos, chá e, em um dos dias, teve panquecas americanas, que estavam bem gostosas.

Não é uma opção para turistas, pois você tem que aplicar para a estadia e explicar o motivo que a fez procurar o Brandon, porém para quem vai ficar para estuddar ou trabalhar e está “on a budget” é uma alternativa interessante, segura e bem-localizada.

O pagamento deve ser feito adiantado, através de ordem de pagamento ou cheque (internacional), diretamente para a conta da organização. É possível “comprar” uma ordem de pagamento no correio americano, que fica bem perto do prédio da Brandon, por US$ 1 + o valor das diárias, pagando em dinheiro ou cartão de débito.


Estes são o 3 que eu conheci, mas claro que quero saber outras dicas quentes de hospedagem em NY. Então me digam: quais são as de vocês?

Beijos,

Roberta