Mark Zuckerberg, CEO do Facebook e uma das figuras mais influentes do planeta, deu recentemente um discurso para os formandos de 2017 na universidade de Harvard, momento prestigiadíssimo e de muita visibilidade.

Entre diversas colocações e reflexões super interessantes (veja alguns destaques abaixo), uma coisa não pude deixar de notar: mesmo essa pessoa conhecidíssima por sua marca registrada – jeans e camiseta – e com a sua reputação, não deixou de cumprir o dresscode que o evento pedia, vestindo-se de terno e gravata como mandava o figurino.

Acredito que esta tenha sido uma das raras ocasiões em que ele tirou seu costume do armário, e o fez de forma com certeza muito consciente.

“Ideias não aparecem completamente formadas. Elas só ficam claras a partir do momento em que você começa a trabalhar nelas. Você só precisa começar!”

Se ele fosse de jeans e camiseta muita gente certamente diria que ele pode, pois ele é o Mark Zuckerberg, mas não podemos nos esquecer que, muito além de nossos desejos e de nossas vontades, existe o respeito ao próximo e o prestígio que oferecemos aos outros, sejam eles locais, anfitriões, clientes, amigos ou até mesmo nossa cara-metade.

Por isso, nos vestir de forma adequada a cada ambiente e de acordo com a ocasião não é só uma questão de educação, mas também de respeito, não é mesmo? Nosso capricho e cuidado demonstra que estamos cientes, que nos importamos, que damos valor ao que está acontecendo e com o desejo do outro.

“Os maiores sucessos vêm quando há liberdade de falhar.”

É claro que podemos inserir identidade aos diferentes looks para mostrar a nossa essência: existem diversas maneiras de se fazer isso sem perder a adequação, como por exemplo na escolha de cores, modelagens e acessórios, porém sem esquecer de estar alinhado à etiqueta do evento e às exigências de cada anfitrião.

“Propósito é aquele senso de que você faz parte de algo maior, que você é necessário, que temos que trabalhar por algo melhor no futuro. Propósito é o que cria a verdadeira felicidade.”

Já ouvi muitas vezes esse comentário de que em algumas áreas a imagem não importa, que estar relax ou desleixado é bem aceito, e o que posso dizer é que se você mesmo julga pela aparência, com certeza 99% das outras pessoas também o farão, e que isso pode ser sim interpretado como descuido e até desrespeito.

Se você quer estas características sendo associadas com a sua imagem, ok. Mas se quer ser visto como profissional, líder e como uma pessoa madura e consciente, melhor rever os seus conceitos! 😉

Se Mark o faz, acredito que nós, “meros mortais”, também podemos seguir o exemplo, né?

Até a próxima,

Roberta