Olá, tudo bem?

Hoje é dia de dicas para o guarda-roupa de trabalho, este que é sempre um assunto de muitas dúvidas nas consultorias que realizo e também uma preocupação constante dos donos das empresas para as quais presto consultoria, que possuem funcionários que muitas vezes se perdem na hora de se vestir, prejudicando a imagem deles e da empresa.

Mas, para deixá-lo mais profissional, sofisticado e incrível não é preciso tanto esforço assim: pequenos ajustes já fazem uma grande diferença!

Vejam abaixo algumas dicas bem práticas para quem fazer bonito no escritório:

1. Dê atenção especial aos materiais

Esta dica é chave! Troque as malhas por tecidos planos – eles sempre trazem um ar mais sofisticado às produções – e as bolsas e sapatos de plástico por couro ou algo muito parecido.

Cuidado também com o caimento e invista em peças de qualidade. Por mais que você não ache que dá para ver aquele defeitinho, no conjunto da obra pode ficar uma impressão de desleixo.

2. Invista em peças boas de alfaiataria!

Mesmo que o ambiente do seu escritório seja informal, calças sociais (que tal uma cigarrete paras variar o jeans?), vestidos-envelope ou chemisier, blazers e outras peças inspiradas no guarda-roupa masculino sempre farão diferença em seus looks de trabalho.

Aposte em modelagens mais atualizadas para garantir looks zero caretas e misture com peças como jeans caso tenha um dresscode mais despojado.

3. Faça uso de looks monocromáticos & tom-sobre-tom

Além de serem super chics, dão uma alongada geral na silhueta. Preciso dizer mais?

Falo mais dessa combinação neste post aqui.

4. Entenda que os acessórios fazem toda a diferença

No escritório, prefira acessórios mais sóbrios, com materiais de boa qualidade e sempre em ótimo estado, como:

  • – colares pequenos a médios que podem conter pedras & cristais discretos
  • – lenços de seda/cetim
  • – cintos e bolsas de couro, limpos e bem cuidados

Evite pulseiras com strass, peduricalhos de plástico, echarpes de algodão ou com frufrus/franjas, cintos de elástico ou bolsas de tecido.

Cuidado também com o tamanho das peças: o ambiente é profissional, ou seja, não precisa de disputa de quem “brilha” mais e acessórios chamativos demais só irão tirar a tenção do que realmente importa: seu trabalho!

5. Preste atenção nos comprimentos & decotes

Por mais relax que seja o ambiente, shorts, mini-saias, vestidos curtos e decotes profundos estão fora de questão, pois jamais transmitem uma imagem profissional.

O comprimento ideal para o trabalho é, no máximo, de 4 dedos acima do joelho. Ele ainda irá subir um pouco quando você sentar, ou seja, comprimentos mais curtos que isso irão acabar incomodando. Nada mais chato do que ter que ficar puxando a saia para baixo o dia inteiro, não é mesmo?

Decotes devem ficar na linha da axila, desta forma você não corre o risco de mostrar algo a mais quando se debruçar ou abaixar para pegar algo.

Ah, e mostrar a barriga em qualquer situação profissional é gafe total! 😉

6 Faça uso das 3as peças

Já falei delas aqui no blog e continuo reforçando: blazers, coletes, cardigans, casaquetos (amamos os de tweed), lenços, colares e afins sempre deixarão o look mais interessante e composto. Elas aumentam instantaneamente a formalidade da produção, deixando a gente com carinha de mais arrumada.

Bom, por hoje é isso! Se quiser mais inspirações de looks para o trabalho temos um board no Pinterest inteirinho dedicado ao assunto com mais de 90 imagens lindas. Dá uma passadinha lá!

Ah, e se precisar de uma ajudinha, ofereço soluções há 9 anos sobre imagem pessoal e profissional, tanto para empresas que querem instruir seus funcionários sobre dresscode e etiqueta corporativa, quanto para pessoas que querem adequar melhor a imagem que apresentam no escritório.

Conheça mais sobre nossas consultorias na página de serviços ou entre em contato para conversarmos melhor, vou adorar saber mais sobre você e como posso lhe ajudar a usar sua imagem a seu favor! 😉

Obrigada pela visita e até a próxima,

Roberta Carlucci

(Post originalmente publicado em fevereiro de 2012, editado e atualizado).

Imagens: Reprodução.